O Café Politik surgiu do acirramento político ocorrido no Brasil em meados dos anos 10 do século XXI.

A eterna sina do país do futuro, que dá um passo pra frente, dois pro lado e um pra trás, nos motivou a criar um espaço para discussões políticas e econômicas sem o viés editorial imposto pelas grandes publicações.

Nossos redatores possuem backgrounds ideológicos distintos e estão totalmente livres para expor suas idéias, experiências e projeções astrais para o futuro da nação e do mundo.

Não temos a pretensão de convencer o leitor, mas de enriquecer o debate. 

Seja bem vindo e, como tudo na vida, aprecie com moderação!

A intolerância política

O brasileiro nunca foi tão interessado em política. Não há como negar. A multiplicação de sites, como o nosso, dedicados ao tema, os acalorados debates políticos nas redes sociais e as grandes manifestações de rua nos últimos meses, comprovam categoricamente isso. Realmente podemos dizer que, de certa maneira, o gigante acordou.

Desde as manifestações de junho de 2013, a política tem ganho um protagonismo nunca antes visto no Brasil. O processo eleitoral que levou à reeleição de Dilma Rousseff em 2014, a Operação Lava Jato, a crise política e econômica e o processo de impeachment da Presidente deram novos contornos ao debate. Indiscutivelmente chegamos a um nível de envolvimento e de polarização sem precedentes.

Em tese, nada demais com a polarização. Nos Estados Unidos a política há séculos é dominada por apenas dois partidos políticos, e até mesmo no Brasil nos últimos 20 anos, tivemos uma polarização entre PT e PSDB sem maiores traumas. O problema é quando se começa a associar um ou outro ao bem e ao mal e principalmente quando isso contamina o juízo que temos sobre aqueles que pensam de maneira diferente da nossa.

Se por um lado é admirável vermos finalmente o brasileiro atento ao noticiário político, é espantoso ver o impacto que isso tem tido nos relacionamentos pessoais. Desconhecidos se ofendendo gratuitamente, amizades sendo profundamente abaladas, e até mesmo famílias sendo divididas. Simples discordâncias ideológicas se tornaram desavenças pessoais e rivais agora são inimigos. O debate ultrapassou o nível político, mostrou nossa dificuldade em lidar com diferenças e explicitou duas das piores características do ser humano: a arrogância e a intolerância.

Não existe verdade absoluta, mesmo que nossas convicções tendam a nos convencer do contrário. Não é o bem e o mal que estão em discussão, e sim, visões diferentes de mundo.  A diversidade de ideias é um pressuposto básico de qualquer sistema efetivamente democrático de governo. O respeito aos nossos rivais no campo político é sinal de maturidade e fundamental para a construção de uma sociedade evoluída e democratica. Definitivamente não há outro caminho...

As principais reformas que o Brasil precisa

O início do fim...