O Café Politik surgiu do acirramento político ocorrido no Brasil em meados dos anos 10 do século XXI.

A eterna sina do país do futuro, que dá um passo pra frente, dois pro lado e um pra trás, nos motivou a criar um espaço para discussões políticas e econômicas sem o viés editorial imposto pelas grandes publicações.

Nossos redatores possuem backgrounds ideológicos distintos e estão totalmente livres para expor suas idéias, experiências e projeções astrais para o futuro da nação e do mundo.

Não temos a pretensão de convencer o leitor, mas de enriquecer o debate. 

Seja bem vindo e, como tudo na vida, aprecie com moderação!

Milagre Econômico de Trump?

donald-trump-fix-economy.png

A sociedade norte-americana nunca esteve tão dividida. Tensões de natureza política, racial e religiosa parecem impregnar todo tipo de discussão nos mais variados ambientes. Seja na Casa Branca, no Capitólio, na redação dos jornais, escolas, Universidades ou nas redes sociais, a sensação é de que as usuais divisões Democrata/Republicano, Branco/Latino/Preto e Cristão/Ateu/Muçulmano são barreiras intransponíveis, verdadeiras caixas estanque que inviabilizam qualquer compreensão mútua ou troca de opiniões construtiva entre as partes envolvidas.

Não há dúvidas de que a ascensão de Donald Trump à presidência potencializou estas históricas divisões.

Seu estilo de “liderança” possui basicamente duas estratégias: a publicação de tweets com análises rasteiras e, muitas vezes, ofensivas sobre os mais variados temas e também o reiterado ataque ao establishment midiático, que inegavelmente ainda não engoliu sua vitória. Os recentes ataques de Las Vegas, Nova Iorque e Sutherland Springs (TX) apenas contribuem para tornar o debate mais tóxico, fazendo com que cada um destes grupos tenha cada vez mais certeza de que o outro representa a verdadeira essência da maldade e do sofrimento no nosso planeta.

Colocando isso de lado, a recente demonstração de pujança da economia dos EUA, intencionalmente ou não, parece estar sendo ignorada pela grande mídia.

Com uma taxa de crescimento anualizada de 3%, incluindo um “boom” de 4,2% no terceiro quadrimestre, os Estados Unidos estão se aproximando rapidamente de um cenário de pleno-emprego, com ampliação da produção manufatureira, alta de salários e confiança do consumidor em níveis históricos. Ao que parece, a opção de Trump de gastar seu tempo “tuitando” e atacando a mídia ao invés de governar parece estar gerando efeitos extremamente positivos na economia.

Brincadeiras à parte, mesmo que o vigor econômico recente se deva muito mais à pujança do setor privado do que à burocracia federal, fato é de que Trump já cortou centenas de instrumentos regulatórios criados durante a era Obama e parece seriamente determinado em reforçar a imagem de redução da influência e do controle estatal sobre a economia.

Com uma complexa reforma tributária e outras medidas legislativas de maior impacto ainda em fase de planejamento, devemos aguardar as cenas do próximo capítulo para efetivamente traçarmos conclusões significativas. Não obstante, fato é que, até o presente momento, o desempenho econômico dos Estados Unidos sob a presidência de Trump tem sido formidável.

Judith Butler e a Intolerância Social

O Lulismo Enrustido