O Café Politik surgiu do acirramento político ocorrido no Brasil em meados dos anos 10 do século XXI.

A eterna sina do país do futuro, que dá um passo pra frente, dois pro lado e um pra trás, nos motivou a criar um espaço para discussões políticas e econômicas sem o viés editorial imposto pelas grandes publicações.

Nossos redatores possuem backgrounds ideológicos distintos e estão totalmente livres para expor suas idéias, experiências e projeções astrais para o futuro da nação e do mundo.

Não temos a pretensão de convencer o leitor, mas de enriquecer o debate. 

Seja bem vindo e, como tudo na vida, aprecie com moderação!

Quem ganha e quem perde se Lula for condenado

lula.jpg

O decisivo ano de 2018 mal começou, e na próxima quarta-feira, dia 24, já temos o primeiro capítulo da disputa eleitoral de outubro: o julgamento do recurso do ex-Presidente Lula na caso do triplex do Guarujá.

Está nas mãos dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4) o destino da candidatura de Lula ao Planalto, uma vez que, caso a sentença do juiz Sérgio Moro seja confirmada, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, o ex-Presidente pode se tornar inelegível a qualquer cargo público.

Não desejo nesse artigo analisar a sentença do juiz Moro. Tampouco pretendo emitir qualquer tipo de parecer sobre a atuação do TRF-4, que de fato procedeu com uma celeridade fora do comum nesse processo. Tenho a minha opinião e as minhas convicções, mas não sou um jurista e não conheço o processo a fundo. Sendo assim qualquer opinião que viesse a emitir nesse sentido, seria meramente especulativa.

Meu objetivo aqui é apresentar os principais interessados, do ponto de vista político, nesse processo e apontar quem seriam os mais beneficiados e os mais prejudicados, além do próprio ex-Presidente, com uma eventual condenação de Lula.

Gostemos ou não, Lula hoje é um dos principais postulantes para assumir a Presidência após as eleições desse ano. Os números divulgados por todos os institutos, em todas as suas últimas pesquisas, não nos deixam mentir. O petista lidera em todos os cenários apresentados, e no momento apenas um candidato vem demostrando algum potencial para incomoda-lo: o deputado Jair Bolsonaro.

Um pensamento simplista e superficial então nos diria que Bolsonaro seria o principal interessado em um eventual impedimento de Lula no pleito de outubro. Entretanto esse conclusão precipitada não poderia estar mais errada.

O polêmico deputado carioca, que teve uma ascensão política meteórica nos últimos anos, tem feito seu nome ao se apresentar como o anti-esquerda, o anti-PT, o anti-Lula... Sua candidatura depende necessariamente desse antagonismo e a esperança de uma vitória se sustenta exatamente na radicalização provocada pela presença de alguém que desperta tanto amor e tanto ódio como o ex-Presidente. Sem Lula no páreo, o segundo colocado em todas as pesquisas, Jair Bolsonaro, é, sem duvida nenhuma, o maior prejudicado, e sua candidatura tende a se esvaziar de maneira significativa, tornando ínfima sua chance de assumir a Presidência.

Podemos assumir assim, que os candidatos de centro e de centro-direita são direitamente interessados no impedimento de Lula, uma vez que o atual sucesso de Jair Bolsonaro tem impactado diretamente em seus desempenhos nas pesquisas mais recentes. Ainda assim, mesmo diante desse cenário, não são eles os maiores beneficiados caso essas ceondições se confirmem, afinal reportagens recentes, divulgadas pela imprensa, indicam que um possível fracasso da candidatura de Bolsonaro não passa necessariamente pela confirmação da condenação de Lula, mas talvez por sua dificuldade de lidar com determinados contradições de seu passado político.

Por incrível que pareça, os maiores interessados na condenação de Lula, são as próprias forças de esquerda do país. Obviamente não estou falando de grupos ligados mais intimamente ao ex-Presidente, mas de correntes alternativas de esquerda, que teriam suas candidaturas inviabilizadas pela presença de Lula. Tanto isso é verdade, que importantes lideranças como Ciro Gomes e Guilherme Boulos, sabendo que seu potencial de crescimento seria marginal, já declaram que se o petista for candidato, retiram suas eventuais candidaturas.

Enfim, em menos de uma semana teremos o primeiro round dessa batalha, e mesmo que não tenhamos uma definição, em caso de uma confirmação da condenação, tudo indica que muito dificilmente Lula será candidato. É esperar para ver, afinal o cenário político como um todo no país depende disso.

O julgamento de Barrabás

Pobreza global em queda acentuada